Crédito ou débito: qual cartão é melhor para seu dinheiro?

O “Cerbasi Responde” de hoje é sobre usar cartão de crédito, cartão de débito, pagar com dinheiro. O que é melhor? A dúvida foi enviada pela Ana Bel Martins com a hashtag #cerbasiresponde é a seguinte: Ana Bel, você e todos aqueles que estão se perdendo no cartão de crédito. Eu vejo uma série de furos nesse questionamento que você coloca aqui. Primeiro, o certo seria gastar tudo no débito e não no cartão? Resposta: não! O cartão de crédito, quando bem utilizado, ele é um grande aliado do seu planejamento financeiro. Leva em consideração que você tem uma data para recebimento do seu salário, da sua renda, uma data principal e se você tiver um cartão de crédito que vence em 2 ou 3 dias depois, se você controla adequadamente o quanto você terá que pagar na fatura desse cartão, basicamente, o dinheiro entra na sua conta e 2 ou 3 dias depois, você quita a sua fatura, o restante você vai quitar os compromissos planejados, aluguel, financiamento, escola, plano de saúde, etc, e você tem muito pouco dinheiro para ser trabalhado no restante do mês, você tem tudo concentrado na fatura do cartão, um relacionamento com o cartão de crédito que até por aplicativo, muitos cartões hoje facilitam esse relacionamento.

O cartão de crédito nos dá um bom instrumento de visualização do nosso comportamento de consumo e a possibilidade de pagar tudo em uma única data. Você está lamentando o fato de usar muito o cartão e usar praticamente todo o ganho da família para quitar o cartão, o erro está aí, em não estabelecer regras para usar o cartão.

Se você olha para o seu orçamento, se você verificar lá que parte do orçamento tem gastos que você não pode evitar, são as contas de água, luz, telefone, as prestações de automóvel, de imóvel, escola de criança, plano de saúde, supermercado, enfim, você tem itens que ocupam o seu orçamento. O cartão de crédito deveria funcionar, mais ou menos, como mais um item em que você vai estipular uma verba para gastar no cartão de crédito. Quanto é essa verba? Por exemplo, R$ 400 por mês? Se é R$ 400 por mês, a sua estimativa ali de R$ 100 por semana não pode ser estourada.

Uma recomendação é estipular uma verba, toda semana entrar na fatura do cartão pela internet, pelo aplicativo, pelo telefone, ver o quanto você já gastou naquela semana e se está dentro do previsto, continua, se está acima do previsto, deixa o cartão em casa, muda o hábito de consumo, mas você pode melhorar a regularidade desse consumo e garantir que você vai quitar a fatura, 100% dela na data do vencimento. Pelo o que você coloca aqui, perguntando se vale a pena fazer empréstimo para quitar pelo menos parte da fatura, entendo que você já entrou no crédito rotativo, em algum momento a fatura chegou no valor total, você não pagou tudo, você começou a pagar parte desse cartão em um processo já parcelado, e a ideia é solicitar um empréstimo para quitar essa dívida.

Está tudo errado, você pode sim ou deve solicitar um empréstimo para quitar 100% da fatura, não uma parte dela no momento em que vence aquele cartão e obviamente ajustar o seu orçamento para conseguir pagar as prestações desse empréstimo que você assumiu, se essas prestações não cabem, algo tem que ser revisto, vocês estão vivendo um padrão de vida que não cabe no bolso. Talvez o carro que vocês têm, está mais caro do que deveria ser, se não tem carro, a moradia que vocês têm, está mais cara do que deveria ser.

“Mas Gustavo, eu não tenho moradia, ela é alugada.” O aluguel que você assumiu é maior do que você pode pagar. Um degrau abaixo no padrão de vida deve dar um fôlego financeiro para vocês e essa é a recomendação. Repassando, cartão de débito não é melhor do que cartão de crédito, até porque o cartão de crédito, além das vantagens que eu citei, pode até oferecer milhagens para vocês, alguma bonificação pelo bom uso. Outro ponto importante: chegou a fatura, não consegue pagar, automaticamente, avalia a possibilidade do empréstimo ou melhor do que o empréstimo, a possibilidade de se desfazer de alguma coisa, vender algum bem que vai permitir quitar essa fatura.

Se esse bem não for vendido, significa que você vai tentar manter um padrão que não coube no seu bolso até agora, então muito cuidado com as escolhas, elas estão bem desequilibradas. Para você, Ana Bel, o curso Inteligência Financeira iria mudar radicalmente a relação que você tem, que a sua família tem com o dinheiro, fica a dica, acompanhe a divulgação, o lançamento para a próxima turma, espero te ver lá entre os alunos.

Sucesso para você e para todos que acompanham aqui. .

Poderá ver o vídeo no youtube Aqui